Passam os primeiros comediantes daquela comédia pobre: homens de mulheres, de pernas peludas à mostra, para que o equívoco se não consuma, homens gordos, acarnavalados com cartolas, com máscaras de carvão na cara, com a exibição de uma degradação voluntária - arrepio-me, confranjo-me, tento achar o significado deste prazer no rebaixamento do cómico, neste aceno à animalidade, no gosto da assunção do grotesco, como se no homem não se não calasse uma saudade do reles, um eco grosso de enxúndia.

Vergílio Ferreira, Aparição

2 comentários:

Laranjinha disse...

Uma grande obra, uma escrita soberba e um ainda maior escritor português!

LMC disse...

Eu adoro... Especialmente a obra.