Defeito, s.m. ( do Lat. defectu). Imperfeição (de carácter físico ou moral); deformidade; mancha; vício.

Eventualmente, ao longo de uma conversa, de acordo com o tipo de relação, consentimos que nos apontem os nossos defeitos. Aliás, eventualmente, ao longo de uma conversa, de acordo com o tipo de relação até somos nós a enunciar os nossos próprios defeitos.

Dado a seu cunho pejorativo, esta situação é, por si só, extremamente curiosa.

A sociedade habituou-nos à ideia de que ter defeitos é contraproducente. Fazendo algum sentido classificar determinada característica pessoal como um defeito somente depois de ela nos ter causado algum dissabor.

Eu adoro os defeitos. De carácter, entenda-se. Nunca defino um defeito como sendo uma imperfeição. Para mim um defeito é uma particularidade. Nada mais que isso.

Como seria a personalidade de alguém que, à vista de todos, não possuisse defeitos?

Os defeitos são absolutamente imprescendíveis à existência dos individuos. Revelam imenso da nossa personalidade, do nosso carácter, da nossa fibra.

Eu adoro os defeitos. Nunca abdicaria dos meus.

1 comentário:

su disse...

É com um sorriso tímido que leio estas suas palavras.
Primeiro porque normalmente expõe as dos outros.
Segundo porque me revejo nelas.
... Estranho quando alguém nos aparenta não ter defeitos. Alguém que se dá bem com todos e que nunca entra em grandes pormenores daquilo que é a Vida. Os Neutros. Esses, nunca poderão atestar na primeira pessoa o que é viver intensamente, falar por aquilo em que acreditam, sorrir depois de uma conversa apimentada por ideias diferentes e por vezes conflituantes. Lamento por eles. É tão bom sentir.